15/01/2021

“Ex” superintendente expõe carteiros ao risco de contrair câncer de pele

 

 

Mesmo fora dos planos da administração nacional dos Correios para continuar conduzindo os rumos da empresa em Alagoas a partir do mês de março, o por enquanto superintendente estadual Edmilson Bezerra continua não fazendo a coisa certa e insiste em prejudicar os companheiros do CDD Tabuleiro, CDD Barro Duro e CDD Arapiraca com mais uma medida descabida no estado.

 


Desta vez, em desacordo com o que restou do antigo acórdão coletivo de trabalho, o superintendente resolveu, sem qualquer coerência, afrontar a categoria acabando com a distribuição das cartas pela manhã e determinando que o serviço de entrega seja realizado na parte da tarde. A medida é perigosa porque é no segundo turno que ocorrem as maiores incidências da radiação solar cancerígena sobre os carteiros.

 


Segundo o item 6 da cláusula 41 do quase extinto acórdão imposto pelo dissídio do TST está escrito:

 

Os Correios continuarão aprimorando o complexo logístico de seu fluxo operacional, visando à otimização dos processos com vistas à antecipação do horário da distribuição domiciliária, sem comprometer a qualidade operacional ou as necessidades do(as) clientes e zelando pela saúde do(as) trabalhadores. A empresa priorizará as entregas matutinas em âmbito nacional, nos Centros de Distribuição Domiciliária [...].

 


Como se vê nos destaques, o quase ex-superintendente faz pouco caso do que ficou definido pelo TST e debocha dos trabalhadores.

 

O Sintect-AL repudia mais esse absurdo e espera que seja o derradeiro devaneio vindo desse cidadão que todos os dias, desde quando entrou na empresa, esquece que é carteiro e que, como o mundo dá muitas voltas, não está isento de provar do próprio veneno. Até porque, como carteiro que sempre foi (embora não saiba o que é uma carta), não estará isento de logo mais colocarem sua pele em risco e em exposição a radiação solar. Que assim seja para ver se aprende e se arrepende de todas as medidas que têm prejudicado os trabalhadores. Isso se tiver a capacidade do arrependimento. De todo modo, caso tenha, será tarde demais.

 


Mas, levá-lo para a bolsa para que finalmente sinta na pele o que nossos companheiros passam todos os dias é fundamental e uma obrigação da ECT. Caso contrário, será mais um desvio de função nos Correios.

 


O Sintect-AL adotará medidas judiciais para barrar mais esse descalabro contra os ecetistas.

Fonte:

Comentários

Comente esta notícia:
Nome:  
Comentário:    
Compartilhe esta notícia:
Seu Nome:
Nome Destinatário:
Email Destinatário:
Informe o número que aparece na imagem ao lado  
Rua Ceará, 206 Prado
57010-350
Maceió - Alagoas