10/02/2021

Reate orienta agências postais a burlar indicadores

 

 

O Sintect-AL conseguiu, com exclusividade, mensagem de e-mail enviada pelo gerente de Atividades em Alagoas, Weleson Moreira, às agências orientando que se burle o registro de entrega das encomendas e, com isso, se deturpe os indicadores de entregas desses objetos postais em Alagoas.

 

Segundo o gerente, “objetos com distribuição externa, independentemente do tamanho, que por algum motivo não foi entregue pelo carteiro e o cliente comparecer à agência para retirada, orientamos que o gestor entregue o objeto em LOEC e não LDI, sob pena de termos nossos indicadores afetados.

 

LOEC é a lista de objetos entregues externamente pelos carteiros e LDI é a lista dos objetos entregues internamente na agência postal. Portanto, quando o gerente orienta que se utilize a LOEC em uma entrega interna, ele tenta enganar a ECT e quem acompanha os indicadores nacionais da efetividade das entregas de encomendas, já que há um acompanhamento diário do quantitativo de objetos entregues nas ruas e nas agências dos Correios em todo o Brasil. As informações são necessárias para que a estatal meça a qualidade dos serviços postais e adote medidas de melhorias na execução dos serviços oferecidos.

 

Ou seja: distorcer as estatísticas é fato gravíssimo, pois a orientação do gerente tenta esconder a realidade e deturpa as informações impedindo que se adote medidas administrativas adequadas a fim de melhorar os serviços de distribuição da empresa no estado. Esse tipo de má fé comprova o quanto a Superintendência Estadual dos Correios em Alagoas, sob a administração do Sr. Edmilson Bezerra, está comprometida com a incompetência e a mentira a ponto de afrontar os valores institucionais, dentre estes a verdade.

 

O teor completo da mensagem de e-mail escancara outra situação grave. A de que em certos lugares os Correios descumprem o contrato de entrega das encomendas. Isso significa que quem posta uma carta ou um produto, geralmente o faz para que a ECT realize a entrega na casa do destinatário – o que não vem sendo feito conforme aponta o documento. Reproduzimos o trecho a seguir e a íntegra está em anexo no final da matéria.

 

“Todas as agências que não dispõem de veículo (carro) ao receber encomendas volumosas, emite-se aviso de recebimento ao cliente sendo este entregue pelo carteiro. Todos os gestores de agências foram orientados dessa forma.”

 

Nesses casos, quando a ECT não faz a entrega na casa do cliente, ela pode ser questionada e multada pelos órgãos de defesa do consumidor onerando seus cofres em milhões de reais por ano em razão da quebra de contrato em várias regiões do Brasil.

 

Diante deste absurdo, resta saber se quem orienta seus subordinados a fraudar o sistema que deveria preservar para que os Correios tenham um verdadeiro raio X do desempenho de seus serviços, continuará na função de gerente de Atividades, e se o superintendente estadual será omisso e conivente com tamanha fraude mantendo o gestor no cargo. Esperamos que a administração da estatal em Brasília acompanhe de perto este caso e ponha fim a esta vergonha.

 

 

Confira abaixo foto do e-mail com as orientações do Reate.

ARQUIVOS ANEXOS:
Fonte:

Comentários

Comente esta notícia:
Nome:  
Comentário:    
Compartilhe esta notícia:
Seu Nome:
Nome Destinatário:
Email Destinatário:
Informe o número que aparece na imagem ao lado  
Rua Ceará, 206 Prado
57010-350
Maceió - Alagoas